Skip to main content

Desde a regulamentação do Cadastro Positivo em 2011, o Brasil foi apresentado a uma nova perspectiva de desenvolvimento econômico. Ampliação do mercado de crédito, quedas consideráveis nos níveis de inadimplência e taxas de juros passaram a fazer parte deste cenário.

Mas você sabe como o banco de dados é formado, quais as partes envolvidas e obrigatoriedades? É o que explicamos a seguir!

 

 

Recapitulando: o que é Cadastro Positivo?

 

O Cadastro Positivo funciona como uma espécie de “currículo financeiro” de pessoas físicas e jurídicas. Seu principal objetivo é reconhecer aqueles que são bons pagadores, atribuindo duas pontuações de crédito: uma positiva, outra negativa. Quem mantém seus compromissos financeiros sempre em dia, tem uma “nota” maior.

Regulamentado pela Lei 12.414/2011, ele prevê a inclusão automática de todos os CPFs e CNPJs na base de dados. Ou seja, não depende da autorização prévia do cliente – como já acontece com os registros dos serviços de proteção ao crédito, negativações e protestos.

A administração e segurança das informações ficam a cargo dos Gestores de Bancos de Dados (GBDs) – os quatro principais birôs de crédito do país: Boa Vista Serviços, Serasa, SPC e Quod. Eles precisam oferecer um sistema seguro para gerenciamento e consultas à base de informações.

 

 

 

Como saber se minha empresa deve ser uma fonte do Cadastro Positivo?

Segundo a Lei do Cadastro Positivo, as Empresas Fonte precisam compartilhar os dados de pagamento de seus clientes com os Gestores de Bancos de Dados (GDBs).

 

Sua empresa deve ser uma Fonte se:

  • Vende parcelado ou gera boleto próprio;
  • Faz vendas a prazo, financiamentos ou empréstimos de qualquer espécie;
  • Recebe pagamentos com cartão de crédito próprio, de bancos ou administradoras terceiras;
  • Presta serviços continuados (água, luz, internet, entre outros);
  • Exerce qualquer atividade comercial que envolva risco de perda financeira.

 

Por isso, a obrigatoriedade engloba organizações de todos os portes e quase todos os segmentos. Podemos citar como exemplos as instituições financeiras, indústria, atacado, varejo e startups, entre outros.

Conheça mais sobre as obrigatoriedades e benefícios em compartilhar os dados:Por que tornar sua empresa uma fonte do Cadastro Positivo?

 

 

Cadastro Positivo: mais oportunidades de negócio

O compartilhamento de dados positivos com os Gestores de Bancos de Dados (GDBs) não é só uma obrigação jurídica das Empresas Fontes. Ele também traz diversas oportunidades e benefícios para o mercado de crédito!

As informações do Cadastro Positivo permitem uma análise muito mais profunda e detalhada do perfil de seus clientes (sejam eles pessoas físicas ou jurídicas). Assim, você pode enxergar possibilidades de negócios rentáveis que não faria caso avaliasse só os dados restritivos – negativações e protestos.

Isso amplia sua capacidade de vendas ao mesmo tempo em que reduz o risco de inadimplência. Com o crescimento da oferta segura de crédito, o mercado de consumo cresce, impulsionando o desenvolvimento da economia do país. 

Leia também:Análise de Crédito segura: qual a responsabilidade da sua empresa para com o mercado?

 

E quais impactos já podem ser vistos no mercado de crédito brasileiro?

Segundo estudo da Boa Vista Serviços, a inclusão das informações positivas nos modelos de score de crédito:

  • Representa um crescimento médio de 60% na aprovação de crédito das empresas analisadas em comparação ao uso da pontuação tradicional apenas. 
  • Na aprovação de venda, o aumento chegou a 40%!

 

 

De acordo com relatório do Banco Central, divulgado em abril de 2021:

  • Os dados positivos levaram 41% dos CPFs e 30% dos CNPJs cadastrados na base a migrarem para faixas de risco mais baixas
  • Nas taxas de juros para crédito pessoal não consignado, a queda média foi de 10,4%.
  • No segmento de crédito a micro, pequenas e médias empresas (MPME), 88% das instituições mostraram interesse no uso das informações do Cadastro Positivo. A maior parte delas indica que já está realizando ajustes para utilização dos dados, ou que pretende realizar futuramente.

 

Já são mais de 100 milhões de consumidores e empresas cadastradas, número que pode chegar a 150 milhões até o final de 2022. Destes, 95% são pessoas físicas.

 

Análises de crédito já contam com dados do Cadastro Positivo

O objetivo do Cadastro Positivo é tornar as bases de dados para análise e concessão de crédito cada vez mais assertivas. Tanto as informações favoráveis do comportamento do seu cliente (pontualidade de pagamentos, cumprimento de obrigações financeiras), quanto as negativas são consideradas nos relatórios.

Com o compartilhamento dos dados, os clientes podem mostrar que pagam diversas contas em dia e que têm capacidade de manter o controle das suas finanças e, com este comportamento, começar a construir um histórico de pagamento que é muito benéfico para as análises. Assim, a sua empresa poderá conceder limites e vendas a prazo mais adequadas ao perfil de cada cliente!

 

 

 

Faça parte do Cadastro Positivo!

Se você também acredita na importância de um mercado de crédito ainda mais seguro e em constante atualização, torne-se uma Fonte do Cadastro Positivo!

A ACP está pronta para prestar todo o suporte necessário aos novos associados, parceiros e clientes que desejem iniciar o compartilhamento de dados. 

Você ainda poderá acrescentar os dados do Cadastro em suas análises de crédito, fechando negócios de forma muito mais assertiva e reduzindo o risco de inadimplência. 

Clique aqui para falar com um consultor e saber mais!

 

Leia também:Cadastro Positivo: como usar o histórico de crédito a seu favor?

Referências: Palácio do Planalto, Banco Central do Brasil, CNN Brasil.

ACP

ACP