As vendas com cartão cresceram 14,5% em 2018*. No Paraná, cerca de 60% dos empreendedores** aceitam cartões de crédito ou débito como pagamento. 

Mas, será que vender com cartão realmente vale a pena? 

Dependendo do seu modelo de atuação no mercado, esse meio não é tão vantajoso quanto parece. 

 

Como funcionam as vendas no cartão?

Mesmo aceitando essa forma de pagamento, muitos varejistas não sabem exatamente como as vendas com cartão funcionam. As taxas e as tarifas cobradas costumam causar muitas dúvidas. Então, vamos explicar como ocorre esse processo.

Para vender com cartão você precisa contar com os serviços de uma adquirente, também conhecida como operadora de cartões. O contrato deverá constar todas as taxas e os valores cobrados. 

 

As tarifas mais comuns são:

Aluguel da máquina: cobrada mensalmente para que o lojista possa utilizar o equipamento;

Taxa do cartão: cobrado a cada venda, podendo variar se essa for realizada via débito ou crédito;

Taxas de antecipação: cobrada pelas operadoras que antecipam o pagamento;

Taxa de parcelamento: cobrada nas vendas realizadas à prazo. Essa modalidade é vantajosa para os consumidores, mas, para os lojistas pode não ser tão interessante, visto que implica em mais um custo. 

 

O valor de cada venda não é depositado automaticamente na conta do lojista. Geralmente, o prazo de pagamento para as transações com cartões de débito é de 1 dia. Já os valores das vendas com cartão de crédito são depositadas em 30 dias.  Perceba como é importante controlar as vendas nesse contexto, a fim de manter o fluxo de caixa sempre positivo. 

 

Como controlar as vendas no cartão?

Você pode controlar suas vendas no cartão manualmente, conferindo uma por uma. Alguns lojistas utilizam planilhas de controle, onde registram todas as vendas realizadas, as taxas cobradas e os valores recebidos.

Dá para agilizar esse processo? Claro! Utilizando um sistema de conciliação automática. Dessa maneira, você diminui as chances de erro e dedica seu tempo a outras atividades. 

Quer saber como esse sistema funciona? Peça uma demonstração, em tempo real, aos nossos consultores!

 

 

Afinal, vale a pena ou não vender no cartão?

A princípio, vender com cartão parece ser uma ótima ideia. Mas, antes de tomar qualquer decisão, avalie se essas opção de pagamento é realmente interessante para a sua empresa. 

Vamos refletir um pouco:

Seus clientes preferem pagar no dinheiro? Quantos já reclamaram que a sua loja não aceita cartões? Em quais canais você vende?

Caso a sua clientela não se importe em pagar com dinheiro ou boleto, as vendas no cartão podem ficar para outro momento. Mas, se muitos já reclamaram, então vale considerar a opinião do público.

Se você pensa em abrir um eCommerce, aceitar cartões de crédito e débito é fundamental, já que 76% dos consumidores preferem utilizar esse método de pagamento online.

Ainda na dúvida? Vamos, então, analisar as vantagens e as desvantagens das vendas no cartão:

 

Vantagens:

  • Ao vender com cartão, você transfere o risco de inadimplência às operadoras financeiras. Isso dá mais segurança à empresa e evita dores de cabeça caso não possua uma estratégia de cobrança.
  • Toda empresa precisa manter seu fluxo de caixa positivo. Porém, por conta de atrasos e calotes, fica difícil assegurar os valores recebidos. Contudo, quando a transação é via cartão, fica mais fácil prever os recebimentos, uma vez que ficarão a encargo da operadora, e não do consumidor.
  • As vendas no cartão facilitam a vida do cliente. Com isso, as chances dele retornar à sua loja são maiores. Se você possui poucas formas de pagamento, talvez esteja perdendo boas oportunidades.
  • Até 2022, a Abecs espera que 60% das famílias brasileiras utilizem cartões para fazer compras. Essa projeção tem como base os números registrados nos últimos anos. Em 2018, os brasileiros moveram mais de R$1,5 trilhão em transações com cartão.

 

Desvantagens:

  • As maquininhas se tornam rapidamente obsoletas. Após certo tempo, você terá que adquirir um novo modelo para se adequar as atualizações das operadoras. (Inclusive o Banco Inter acredita que as maquininhas de cartão estão com os dias contados!)
  • As taxas administrativas cobradas pelas operadoras vão de 2% a 3,5%, podendo variar de acordo com o número de parcelas. No débito, essa tarifa costuma ser menor, mas, ainda assim, pode reduzir a sua margem de lucro, assim como as vendas no cartão de crédito.
  • Todas as taxas são cobradas mês a mês. Essas despesas, quando somadas no final de um ano, são mais onerosas do que qualquer outra forma de pagamento. Se você faz a conferência e a conciliação das vendas manualmente, pode estar perdendo mais dinheiro do que imagina!
  • As fraudes são outro problema. Por mais que as bandeiras, emissoras e adquirentes desenvolvam novas tecnologias para dificuldades a vida dos malfeitores, ainda ouvimos relatos de cartões clonados ou roubados. Esses golpes, prejudicam os empresários que, além de não obter o retorno financeiro, perdem seus produtos.

 

Em suma, vender com cartão será vantajoso se o seu público tem interesse nesse meio de pagamento e se ele adquire seu produto ou serviço com frequência. 

Aliás, o tipo de produto e de serviço também conta bastante na escolha, assim como o segmento. 

Se você oferta produtos de alto valor agregado, como imóveis, por exemplo, geralmente o meio de pagamento mais utilizado são os boletos. Agora, se você possui uma loja de roupas ou um restaurante, definitivamente deveria aceitar cartões.

 

* Dados Abecs
** Dados ACP 
ACP

ACP

ACP: há 129 anos conectando o comércio, a indústria e os serviços.

Deixe uma resposta