Natural de São Paulo, Renato Ramalho mudou-se para Curitiba ainda bebê. Filho do renomado arquiteto e ex-jogador de vôlei da Seleção Brasileira, Joel Ramalho Júnior, o esporte sempre fez parte de sua vida. Ainda criança, começou a dedicar-se aos treinos de natação incentivado por sua mãe, Neusa Ramalho.

Com uma trajetória inusitada que inclui desde a participação de sua família na fundação do extinto Clube do Golfinho, que mais tarde, junto ao Clube Curitibano, foi responsável por tornar o Paraná um dos maiores celeiros de nadadores do Brasil. Ao descrédito do técnico na sua adolescência, que dizia que Ramalho não levava jeito para este esporte, Renato forjou-se na máxima de que na natação, assim como na vida, para vencer é preciso perder inúmeras vezes sem se desmotivar.

Aos 16 anos seus esforços começaram a ser recompensados e os primeiros resultados de expressão foram conquistados a nível estadual e nacional. O título de campeão sul-americano nos 400 metros medley em 1985, em Rosário, na Argentina, deu início a uma nova fase na vida de Renato Ramalho como atleta. O reconhecimento máximo chegou com a obtenção dos índices para participar dos Jogos Olímpicos de Seul/1988 e Barcelona/1992.

Heptacampeão brasileiro na prova de medley, Renato Ramalho é, de acordo com muitos especialistas em natação, um dos atletas mais completos e resilientes que as piscinas brasileiras já produziram. Em 1991, graças à natação, conquistou uma bolsa de estudos na Universidade Estadual do Arizona (EUA), onde cursou Administração e Empreendedorismo. Nesse período, seguiu representando a instituição de ensino nas piscinas americanas. E também, como atleta de diversos clubes no Brasil, como o Curitibano, Flamengo e Esporte Clube Pinheiros. Atualmente seu nome figura no hall da fama do centro aquático da Arizona State University, que honra todos os alunos que se tornaram atletas olímpicos.

Em 1996 retornou ao Brasil e iniciou o gerenciamento da empresa de drywall que formou com seu pai, que mais tarde foi vendida para seu irmão. Em 2001, em sociedade com três amigos e ex-colegas de natação e de seleção brasileira – o economista Gustavo Borges, o arquiteto Gustavo Pinto e o administrador Felipe Malburg – fundou uma rede de academias, a Academia Gustavo Borges. Mais tarde criaram juntos uma metodologia de ensino de natação que hoje está presente em mais de 450 escolas de todo o país, atendendo através do método formativo mais de 200.000 pessoas atualmente.

Em 2016 assumiu, após eleição, a presidência do Clube Curitibano, instituição que representava quando classificou-se para os Jogos Olímpicos. Um sonho realizado de retribuir à instituição que tanto lhe deu para sua formação dentro e fora das piscinas.

Atualmente Renato Ramalho dedica-se a expandir um novo plano de negócios, através da Water Colors, empresa de material esportivo que fabrica sungas, maiôs e toucas, com foco em escolas especialistas em natação infantil.

Visão empreendedora e liderança

Do início de sua jornada aos dias atuais, a visão empreendedora e liderança de Renato Ramalho se fizeram presentes em diversos momentos. Em 1985, o administrador foi reconhecido com o título de Bicho do Paraná. Fez parte também da primeira geração de atletas profissionais da natação do Brasil, os quais tiveram seus talentos reconhecidos e foram remunerados financeiramente por seus resultados. E assim, tiveram um fôlego maior para alçar voos mais longínquos, ao morar e treinar no exterior por conta do esporte.

Em sua passagem pelo Arizona foi eleito por seus colegas capitão do time americano. Oportunidade que enriqueceu sua habilidade de construir soluções em conjunto o que o levou muitos anos mais tarde a presidir o maior clube do Paraná, o Clube Curitibano. E assim, se engajar em associações de classe, entre outros desafios que se apresentaram em sua jornada. “Tentar fazer parte da solução é uma obrigação de todo cidadão”, afirma o empresário.

A transformação de seu sonho, a natação, em um negócio que hoje impacta milhares de pessoas entre alunos, atletas, professores e outros colaboradores, dão significado a uma vida inteira dedicada ao esporte. “A felicidade na vida é apenas um eco das pequenas conquistas diárias”, acrescenta Ramalho. Prova de que um grande empreendedor começa em si mesmo ou como ele mesmo diz: “Nosso maior adversário somos nós mesmos. Respeite-o, admire-o e tente superá-lo todos os dias”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.