Melhorar a gestão financeira é questão de sobrevivência, afinal a falta de controle nas finanças pode levar sua empresa à falência. 

Segundo um levantamento do Sebrae, as principais causas de mortalidade das empresas são: 

 

Portanto, se o controle financeiro não é o seu forte, preste atenção às próximas linhas. Elas podem salvar a sua empresa.

 

O que é gestão financeira?

 

Gestão financeira é um conjunto de atividades que controla o uso de recursos econômicos. Seu objetivo é potencializar os ganhos de uma empresa e, para isso, uma série de análises, decisões e estratégias fazem parte desse controle. 

Em outras palavras, o gerenciamento financeiro está relacionado à captação, manutenção e administração de bens.

Pensando nisso, você saberia nos dizer como estão as finanças da sua empresa?

Onde você concentra seus investimentos? O que gera mais despesas? Quais pontos precisam de mais atenção para que a tomada de decisão leve ao sucesso? 

Se você não sabe responder essas perguntas, então precisa melhorar a gestão financeira do seu negócio. 

 

Erros mais comuns no controle financeiro

 

Quanto maior o controle financeiro de uma empresa, mais saudável ela é. 

Administrando corretamente os recursos disponíveis, seu negócio poderá investir em novas ferramentas, aumentar a equipe, expandir o mercado, atualizar processos… Da criação à produção, todos os setores são impactados pela gestão financeira

A responsabilidade é grande. Portanto, tome cuidado para não cometer os seguintes enganos:

 

Confundir as finanças da empresa com as finanças pessoais

Esse erro é bastante comum entre micro e pequenos empreendedores. Geralmente, o dinheiro ganho é utilizado tanto para pagar fornecedores, quanto as compras no supermercado. No final do mês, não se sabe qual foi o lucro da empresa e onde estão os gargalos. Em muitos casos, o empreendedor sequer define um salário para si mesmo. Não confunda pessoa física com pessoa jurídica. Aprenda a administrar essas duas instâncias separadamente. 

 

Não ter um planejamento financeiro

Como controlar processos sem antes planejar o que será feito? O planejamento financeiro estabelece as metas e rotinas da empresa. Com ele, você poderá comparar o que foi estimado com o que foi realizado. 

 

Não saber o valor patrimonial da empresa

Somando todos os bens e produtos da sua empresa, você saberia nos dizer quanto ela vale? Essa informação é crucial para avaliar o quanto seu negócio está crescendo e para projetar cenários de longo prazo. 

 

Não registrar as transações efetuadas 

Todas as compras e vendas precisam ser registradas, desde um simples clipes de papel à uma tecnologia de ponta. Sem um controle rigoroso, você não saberá onde estão seus gargalos e não poderá melhorar a gestão financeira.  

 

Não saber calcular o preço de venda

Você sabe o quanto gasta para produzir o seu produto? Qual é a sua margem de lucro em cima disso? Ao realizar uma promoção, você costuma sair no prejuízo? 

Muitos empreendedores definem o seu preço com base nos valores praticados pela concorrência. Ora, esse é o melhor método, pois a realidade do seu negócio é totalmente diferente da realidade do seu concorrente. 

Calcule o seu preço de venda para aproveitar, ao máximo, a comercialização dos seus produtos e elaborar estratégias compatíveis com o seu negócio. 

 

Não projetar o fluxo de caixa

Todo empreendedor sabe o quanto ele gastou hoje e o quanto gastará amanhã. Mas, uma projeção de custos e de receita de longo prazo facilita o planejamento e a definição de metas coerentes com o seu negócio. 

 

Desconhecer o rendimento operacional

Por que alguns meses são melhores que os outros? Quais gastos sua empresa poderia evitar? O Demonstrativo do Resultado do Exercício (DRE) é uma ferramenta contábil que mostra essas informações. Com elas, você saberá o quanto lucrou nos últimos meses, de onde veio esse dinheiro, quanto saiu da empresa e onde essa grana foi parar. 

 

Não controlar o estoque

Armazenar seus produtos gera custos. Logo, se você não controla a entrada e saída de produtos, não poderá otimizar as compras e reduzir gastos com o estoque.  

 

Preferir processos manuais

Muitos empreendedores “controlam” seu dinheiro na caderneta. Outros, utilizam planilhas para registrar transações e gerar relatórios. Essas ferramentas são úteis, mas nem sempre eficazes. Em ambos os casos o controle financeiro é manual, o que toma tempo e sujeita sua empresa à falha humana. 

Se você quer melhorar a gestão financeira, precisa automatizar seus processos. Hoje a tecnologia está bastante avançada. Robôs cada vez mais inteligentes registram, monitoram e analisam dados, gerando relatórios confiáveis e detalhados. 

O que achou dessa lista?

Conseguiu identificar algum erro cometido pela sua empresa?

A consciência é o primeiro passo para a mudança. Depois de compreender quais são as suas dificuldades é hora de pensar nas soluções e melhorias! 

 

7 dicas para melhorar a gestão financeira empresarial

Uma gestão financeira é eficiente quando:

  • controla todas as entradas e saídas de recursos financeiros;
  • diminui erros;
  • agiliza processos;
  • reduz custos.

Se você está com dificuldade em um ou mais itens dessa lista, então, precisa rever os seus processos. É por isso que nós indicamos:

 

 

1. Investir em tecnologia

Boa parte da gestão financeira pode ser automatizada, isto é, controlada com a ajuda de sistemas ERP e outras tecnologias. Essas ferramentas, além de facilitar todo o processo de armazenamento e controle de dados, facilitam a tomada de decisão.


2. Utilizar indicadores de desempenho

Monitorar os resultados é tão importante quanto traçar planos de ação — afinal, os dados colhidos pelos indicadores podem ser usados para:

  • planejamentos futuros;
  • ajustar os objetivos atuais;
  • substituir ações ineficientes.

Na prática, alguns indicadores importantes ligados às vendas seriam: o ticket médio, taxa de conversão e o custo de aquisição de clientes

Já aqueles que devem ser usados para monitorar as finanças propriamente ditas são: faturamento bruto, lucratividade, rentabilidade, nível de endividamento e margem operacional.

 

 

3. Estabelecer  uma cultura forte na empresa

Outra dica importante é estabelecer uma cultura organizacional pautada na prestação de contas, principalmente se o gestor se mantém afastado dos processos operacionais. Os colaboradores precisam estar cientes de que cada ação que envolva a entrada ou saída de recursos precisa ser devidamente notificada. Os softwares, citados no primeiro tópico, auxiliam (e muito!) nessa tarefa.

 

 

4. Definir metas inteligentes

Metas inteligentes? O que isso significa? Para melhorar a gestão financeira, você precisa definir objetivos palpáveis, isto é, que podem ser atingidos e que, ao mesmo tempo são desafiadores. 

Nesse caso, aposte no método SMART, que traz as cinco características que uma meta deve ter:

  • specific: específica;
  • measurable: possível de ser medida;
  • attainable: atingível;
  • relevant: ter relevância;
  • time-based: temporal.

 

 

5. Ter um bom planejamento estratégico 

Nos erros mais comuns do controle financeiro apontamos a falta de um bom planejamento estratégico. 

Mas, o que diferencia um planejamento bom de um planejamento ruim?

Anote no seu caderno:

  • Visão estratégica: onde se quer chegar, em quanto tempo e quais recursos necessários para isso;
  • Objetivos claros e concretos;
  • Política de preços, descontos e promoções
  • Perfil do cliente ideal
  • Mercado de atuação
  • Linha de produtos 

 

Não se esqueça de acompanhar e, se necessário, adaptar o planejamento a fim praticar a melhoria contínua.


6. Controlar o fluxo de caixa

O fluxo de caixa é o registro das entradas e saídas de dinheiro do negócio. Seja qual for o tipo ou do porte da sua empresa, ele terá no mínimo cinco itens:

  • saldo inicial: valor inicial sem qualquer comprometimento disponível em caixa;
  • saídas de caixa: despesas ou retiradas do caixa;
  • entradas de caixa: vendas à vista e quaisquer outros valores recebidos no período;
  • saldo operacional: diferença entre o valor que entrou e o valor que saiu do caixa;
  • saldo final de caixa: o valor do saldo inicial mais o do saldo operacional.

Ganhar mais do que se gasta é importante para manter o saldo e a saúde da empresa positivos. É aí que vemos a relevância de manter o controle desse registro.

 

7. Automatizar os processos de gestão financeira

Começamos este texto incentivando você a contar com o apoio da tecnologia. Isso não foi por acaso: a inovação está cada vez mais presente no dia a dia, inclusive no mundo dos negócios. 

Investindo em um sistema de gestão ERP, você sentirá:

 

  • Redução nos custos: novas tecnologias são sinônimo de agilidade. Quanto mais tempo você economizar, menos dinheiro está gastando;

 

  • Aumento da produtividade: se as pessoas são o maior recursos de uma empresa, então, direcione seus esforços para atividades que valorizem seu potencial criativo e estratégico;

 

  • Aprimoramento da análise de dados: softwares de gestão oferecem relatórios completos, permitindo um maior entendimento das finanças.

A importância de um sistema de gestão no controle financeiro

Adotar um software de gestão é a resposta para quem deseja melhorar a gestão financeira. Com ele é possível:

A gestão financeira do negócio deve ser uma das prioridades do empreendedor. Ela permite o monitoramento do capital para a tomada decisões importantes, que podem afetar o destino da empresa.

Você está pronto para a mudança?

ACP

ACP

ACP: há 129 anos conectando o comércio, a indústria e os serviços.

2 Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.